Virando a economia da 4ª edição de ponta cabeça

Na semana passada eu escrevi sobre o quanto eu gostei da mecânica de parcelas de tesouro, mas as opiniões de que ele é um sistema legal não agradam a todos e então, andando um pouquinho pela net, encontrei este artigo escrito pelo ChattyDM do chattydm.net falando sobre este sistema. Embora eu não tenha tido tempo de solicitar autorização para tradução deste artigo, me valho das palavras “share this if you like it” do autor para trazer ao público do TrampolimRPG uma outra visão do sistema de parcelas de tesouro, apresentando uma regra caseira, que como o próprio autor do artigo diz, merece ser desenvolvida. Espero que curtam esse texto que foi ao ar no dia 09 de novembro no chattydm.net sob o titulo original Turning D&D 4e’s Economy on its Head. Virando a economia da 4ª edição de ponta cabeça Eu amo a 4ª edição com uma paixão que já expressei diversas vezes com minha prosa carregada de nerdisse em diversas plataformas. No entanto, depois de ter jogado por mais de um ano, eu deve dizer que eu realmente não gostei da mecânica de atribuição de tesouros e do sistema econômico encoberto por ela. Gastar tempo escolhendo itens mágicos para os meus jogadores e colocar grandes quantidades de dinheiro e o ponto mais fraco da preparação das sessões e eu sempre deixo isso por último. Agora que os poderes de classe fazem todo o trabalho pesado na 4ª edição, os […]

Leia Mais →

Parcelas de tesouro

A medida do poder dos personagens depende muito dos poderes que eles ganham ao atingir novos níveis, mas é também muito dependente dos recursos que eles conseguem juntar com o passar dos níveis. Quando eu narrava AD&D ou mesmo as edições mais recentes de Dungens & Dragons, os personagens vez por outra eram pegos em situações nas quais eles não possuíam nenhum tesouro – inclua nessa lista itens mágicos – e algumas situações de confronto (não restringindo-se apenas ao combate) eram muito mais difíceis de serem resolvidas, e isso se devia principalmente a falta de experiência na distribuição do tesouro. Embora houvesse sempre uma tabela indicando a riqueza dos personagens por nível, como distribuir isso ao longo de um nível? Como tornar a distribuição equilibrada? A quarta edição – até onde eu sei – introduz o conceito de distribuição de tesouros por parcela e mais precisamente no Guia do Mestre está tudo explicado. Existem inúmeros exemplos nas aventuras que aparecem nas páginas da revista Dungeon do DDI e nas aventuras da RPGA, embora essa segunda utilize uma forma de distribuição peculiar dessas parcelas. Assume-se que na quarta edição os personagens têm de enfrentar dez encontros para atingir um novo nível e na teoria, todo encontro deveria fornecer uma compensação além da experiência (XP) e esta compensação viria na forma de tesouros, que poderiam incluir gemas, moedas, obras de arte, itens mágicos, etc. Sendo assim, cada encontro contribuiria com uma parcela […]

Leia Mais →

3º Trampolim no Bob’s

O Grupo Trampolim da Aventura realiza no próximo domingo, dia 29 de novembro, a partir das 14 horas no Bob’s da Avenida Engenheiro Roberto Freire, em Natal, o 3º Trampolim no Bob’s, evento mensal que tem movimentado o Bob’s com RPG e jogos de tabuleiro. Venham desfrutar de uma tarde agradável com sua família e amigos num ambiente climatizado, conhecendo jogos de tabuleiro, rpgs e tomando aquele ovo maltine. A entrada é franca.

Leia Mais →

Aniversário TrampolimRPG

No último dia 13.11 o TrampolimRPG completou seu primeiro aniversário e minha vida está tão conturbada com as inúmeras novidades que nem me lembrei do aniversário deste meu filho. No princípio eu criei a Casa do Mago com o intuito de escrever sobre o que eu gostava, e a casa ficou maior, com mais espaço e com um volume maior de artigos sendo publicados. Estes artigos têm sido em sua grande maioria traduções de matérias que julgo interessantes e que tento compartilhar com alguns leitores que tem menos acesso ao idioma inglês do que eu. Sinto-me particularmente feliz por ter atingido esse primeiro aniversário e não sem muitas dificuldades. Deixo o meu mais sincero agradecimento a todos os leitores do TrampolimRPG e espero poder continuar traduzindo bons artigos e escrevendo também alguns artigos e que a audiência do site cresça a cada dia. Obrigado também aos incentivadores, que são os verdadeiros Senhores da Guerra nesta luta que travamos quase que diariamente.

Leia Mais →

Aprenda um trabalho real

Este artigo foi escrito por Ameron do dungeonmaster.com e foi ao ar em 2 de novembro de 2009, tendo sido autorizada a sua tradução. This article wrote by Ameron from dungeonmaster.com was posted at November 2, 2009 and its translation was authorized by his author. Qual a profissão do seu personagem? Eu não estou perguntando qual a sua classe; eu quero saber o que seus personagens fazem para viver. Você alguma vez pensou sobre esse assunto antes de eu trazê-lo a tona? Provavelmente não. Eles estão pensando em enriquecer através do saque de dezenas de masmorras perdidas ou então matando monstros e reclamando seus tesouros. Em resumo, os personagens não tem um emprego real. Poucas classes se encerram como profissões. Eu assumo que você pode argumentar que os Clérigos e outras classes divinas geralmente trabalham para uma igreja, mas eu não acho que seu personagem deveria apresentar-se e demandar um pagamento por espalhar a palavra de sua divindade pelo mundo. Quando uma campanha de D&D começa, elas normalmente começam quando os personagens já escolheram “sair para aventurar-se”. Mas você alguma vez parou para pensar no que os personagens faziam antes de jogar a precaução ao vento e atender a esse novo chamado? O aventureiro sempre desejou ser um Feiticeiro explorador de masmorras ou um Paladino destruidor de mortos-vivos? Pense sobre os tipos de profissões que seus personagens se desenvolveram e considere o que eles faziam antes de se tornar um aventureiro. Mais importante […]

Leia Mais →

5 Dicas para controlar seguidores NPCs

Postado em 7 de outubro de 2009, Por Jonathan Drain no site D20 Source com o título original “5 Tips to Handle NPC Followers“ Em algumas situações nós queremos que um NPC siga o grupo. Pode ser que um jogador tenha que faltar a sessão e você deseje que o NPC o substitua ou os personagens tenham alugado um mercenário para preencher um papel faltando no grupo. Eles podem ser chamados para uma batalha épica final, sendo necessário adicionar NPCs extras para ajudar na batalha. Aqui apresento algumas dicas para fazer a experiência mais fácil. 1. Não ofusque os jogadores Narradores novatos algumas vezes cometem o erro de fazer um NPC fazer o trabalho dos personagens por eles. Isso irá detratar a vitória dos jogadores se seus NPCs ganharem todas as batalhas por eles. Se você quiser que um NPC junte-se ao grupo, certifique-se que ele apenas ajudará o grupo e não roubará todas as glórias. Especialmente, não coloque um NPC de alto nível para resolver todos os problemas. Ninguém quer ficar sentado enquanto você teleporta Gandalf e o faz lutar contra todos os seus monstros. 2. Use estatísticas de jogo simplificadas NPCs não necessitam de muitos detalhes como os personagens “completos”. Detalhes desnecessários apenas aumentam o tempo de geração do NPC e pode deixar o jogo mais lento por apresentar muitas opções para o narrador. Uma vez que os NPCs tendem a não possuir muitas habilidades irrefletidas (redução de […]

Leia Mais →

Dungeons and Dragons 4ª Edição: Modo Difícil

Essa matéria foi ao ar no site Sly Flourish no dia 02 de novembro de 2009 com o título original Dungeons and Dragons 4e: Hard Mode e é assinada por Mike Shea. Os personagens dos jogadores na quarta edição formam um grupo resistente. Com milhares de itens mágicos e milhares de poderes disponíveis, existe uma imensa quantidade de possibilidades para os personagens. Se seus jogadores são particularmente aptos em escolher a combinação correta de poderes, talentos, trilhas exemplares, e itens, nós pobres narradores podemos acabar achando realmente difícil desafiá-los. Hoje nós vamos dar uma olhadinha numa regra caseira para a quarta edição “Modo Difícil”. Essencialmente nós vamos aumentar o desafio para os personagens sem alterar a duração das batalhas. +1[A] quando estiver sangrando Se você já leu fóruns sobre a quarta edição na web, você já ouviu sobre o Desgaste – aqueles pontos na batalha onde os personagens sabem que vão ganhar, os monstros sabem que vão morrer, e ambos sabem que isso deverá demorar umas cinco rodadas para acontecer. Existem algumas maneiras de evitar o desgaste, mas uma forma de deixar o monstro um pouco mais perigoso é interessante é aumentar o dano causado quando ele estiver sangrando. Essencialmente, uma criatura com esta habilidade se torna mais perigosa quando suas fichas estão se esgotando. Esta é uma mudança súbita não deve ser tornar do conhecimento dos personagens a menos que você deixe transparecer através de uma colocação descritiva como: […]

Leia Mais →

Lá e de volta outra vez!

Saudações a todos que acompanham o Trampolim RPG. Há duas semanas anunciei aqui o nascimento do meu filho e o meu afastamento por uma semana de postagens, mas uma internação em função de uma icterícia também me internou e aí fiquei mais uma semana cuidando do filhote e da esposa, inclusive dormindo no hospital para poder fornecer um apoio melhor ao rpgista e jogador de tabuleiro que veio ao mundo. Bem, mas agora que está tudo bem, é hora de começar a voltar ao mundo real (trabalho e jogos) e está na hora de inspirar-se ainda mais no contar histórias. A Campanha Portal de Baldur deu uma paradinha normal, que eu aproveitei para aumentar os níveis de encontro planejados para a aventura Scepter Tower of Spellgard que estou narrando, afinal os personagens agora de quarto nível estavam enfrentando desafios dois níveis inferiores a eles – embora os combates tenham sido relativamente complicados enquanto os personagens não se comportavam como um grupo. Para retornar ao Trampolim RPG vou trazer a tradução da matéria Dungeons and Dragons 4e: Hard Mode, escrita pelo Mike Shea do Sly Flourish.

Leia Mais →

Nasce Pedro Arthur

Saudações a todos aqueles que acompanham o Trampolim RPG. Esta semana vou ficar um “tanto quanto afastado do site” em virtude do nascimento do meu filho Pedro Arthur. O meu grande príncipe nasceu no sábado às 3:55 h de um parto cesário com 37 semanas de gestação. Nasceu pesando 3,320 kg e medindo 48 cm. Ele foi, sem dúvida nenhuma, um grande presente que minha esposa e Deus me deram no mês de meu aniversário. Obrigado meu Senhor por tê-lo feito vir com saúde e muito forte! Obrigado Ana Paula, meu grande amor, por proporcionar essa grande alegria a nós dois! Você que é a minha rainha no castelo! Na próxima semana espero voltar com a programação normal e como disse (ou não disse) em algum outra matéria, com novidades, agora escrevendo também sobre o Mundo das Trevas. Até lá!

Leia Mais →