Além do retreino

Publicado por

Estou narrando uma campanha desde fevereiro e somente agora os personagens que começaram naquela época atingiram o quarto nível e muito material foi lançado de lá pra cá.

Além disso, os jogadores amadureceram as idéias sobre a quarta edição, embora muita coisa ainda seja novidade para eles, afinal estamos num processo constante de aprendizado e os conceitos que eles desenvolveram para seus personagens a 10 meses, embora seja o conceito com o qual eles desejam continuar jogando, podem não ter sido bem explorados na escolha dos números que compõe o personagem.

Algumas combinações de poderes provavelmente não trabalhavam da forma que eles haviam imaginado e nem permitiam uma interação maior entre eles [os poderes] numa situação de combate, o que tornava os combates menos interessantes e acabam frustrando o jogador, senão o grupo todo.

A opção de retreinar é muito válida, mas funciona muito melhor quando se trata de jogadores que fizeram os personagens de seus sonhos e fazem apenas pequenos ajustes quando estes são necessários.

O que fazer então quando o jogador quer manter o conceito do personagem, mas não está gostando da forma como os números em sua ficha de personagem estão se comunicando? Quando os atributos, perícias, talentos e poderes não correspondem ao que eles queria? Vale a pena adiar a adequação do personagem por vários níveis, retreinando aos poucos ou o melhor é deixar que uma modificação mais drástica seja feita em prol da diversão?

Optando pela segunda opção, deixei que os jogadores dos três personagens que alcançaram o terceiro nível ajustassem todos os pontos que eles consideravam relevantes para a formação de seu personagem, incluindo itens mágicos, ajustando o ouro que eles deveriam ter por nível e é claro, poderes,  perícias, talentos e até atributos, mas com uma condição, os conceitos do personagem deveriam permanecer os mesmos, eles poderiam apenas ajustar-se melhor a eles.

A primeira coisa que percebi é que os jogadores ficaram mais satisfeitos e empenharam-se na escolha de tudo que pudesse fazê-los desempenhar seus papéis com mais eficiência e eficácia. Em seguida vi eles imaginando as possibilidades de interação entre eles e os demais personagens, criando uma verdadeira sintonia entre eles.

Quando o processo foi finalizado, a primeira partida com os novos personagens e a experiência foi muito motivadora para todos, que conseguiram sobrepujar um desafio com certa tranqüilidade, agindo como eu nunca vira antes, em grupo.

Quando por algum motivo o jogo não está fluindo muito bem, tentar uma opção além do retreino, mesmo que ela seja drástica, parece ser a melhor opção para trazer ainda mais motivação e interação para a mesa de jogo.

Por acaso isso já aconteceu com vocês? Se sim, comente suas experiências! Você concorda? Se não, deixe-nos saber seu ponto de vista.

2 comentários

  1. Muito bom o post Franc… realmente essa parte de que ser muito bem pensada:”A opção de retreinar é muito válida, mas funciona muito melhor quando se trata de jogadores que fizeram os personagens de seus sonhos e fazem apenas pequenos ajustes quando estes são necessários.”Meus jogadores não tiveram a oportunidade de criar seus personagens, mas estou pensando seriamente em dedicar uma sessão de jogo apenas para construção dos personagens.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s