Assista a sessão de Mouse Guard RPG

Recentemente mestrei para o Julio Matos (twitter / site), Fernando (twitter ) e para a Mari (twitter) o Mouse Guard RPG através do Google Hangout. A sessão foi transmitida ao vivo para o youtube e o mais incrível é que teve gente que assistiu e gostou! 🙂 De qualquer forma, os vídeos foram retirados do canal para não atrapalhar quem vem procurando os vídeos do aBoard Games. Eles ainda podem ser assistidos, apenas não aparecerão no canal nem através de pesquisa. Caso você queira assistir, eis os links: http://youtu.be/1Ejvuo6un-M take 1, que foi interrompido devido a problemas técnicos http://youtu.be/pxyB0DsLJfY take 3, que finalmente funcionou e onde está quase toda a sessão. Espero que gostem e que seja útil para quem está com dificuldades para entender o Mouse Guard RPG. Eu mesmo já tive dificuldade para entender a estrutura do jogo e teria ajudado bastante uma sessão em vídeo.

Leia Mais →

Entendendo os Conflitos do Mouse Guard e Burning Wheel

Um post rápido para adiantar a explicação da resolução de conflitos tanto do Mouse Guard quanto para o Burning Wheel. Esse post foi escrito para a galera que vai jogar online comigo, para adiantar a explicação e tirar as dúvidas antes do jogo. Não darei muitos detalhes, é apenas uma explicação geral, as situações específicas serão discutidas durante o jogo. Tanto no Mouse Guard quanto no Burning Wheel, os conflitos não acontecem de forma reativa como nos RPGs tradicionais (“eu te ataco”, “ok agora eu te ataco”, “ok agora eu vou pra trás e atiro com minha besta”, “ok agora eu vou até ele e ataco novamente” – boring). Neste sistema você irá escolher as suas ações antecipadamente e escondido do mestre (ou outros jogadores, caso seja PvP). Depois que todos tiverem escolhido as ações, elas serão reveladas simultaneamente, e em seguida  cada uma será resolvida seguindo as regras. Cada rodada é dividida em três rajadas, da seguinte forma:   Então no começo da rodada (caixa azul), todos irão escolher suas ações para cada rajada diferente (em verde). Depois que todos tiverem escolhido, o GM irá falar “Ok, primeira rajada. O que cada um escolheu?”. As ações serão então resolvidas, dados podem ser rolados, e o resultado será narrado para todos os jogadores. Depois disso, o GM faz a mesma coisa para a segunda rajada, e em seguida para a terceira. Terminada as três rajadas, se o conflito não tiver […]

Leia Mais →

WorldRPG 2012 – eu vou!

Salvo acontecer alguma catástrofe (o que meu carro adora fazer na véspera ou no dia de viagens, pergunte para o @Ooze), estarei no sábado dia 21 no WorldRPG em Curitiba. Farei um bate-e-volta (5 horas e meia de viagem de Santos até lá), então provavelmente estarei morto de cansaço e em modo zumbi, mas quem me ver por lá não deixe de me chamar.

Leia Mais →

Regras e Roleplay

Um recurso muito utilizado em filmes e narrativas em geral, é o flashback. Em alguma cena dramática importante e geralmente que esteja acontecendo de forma negativa, o personagem tem uma lembrança de algo que o motiva ou ensina alguma coisa e que acaba sendo a diferença entre o fracasso e a derrota do personagem ou sua vitória. Você consegue se lembrar da última vez que isso foi utilizado – sem ter house rules – em um combate de D&D em que os personagens estão perdendo? Quando o ogro levantou seu enorme machado em direção ao guerreiro que estava caído no chão, com seu escudo partido e sua espada há alguns metros dele, ele se lembrou de sua adolescência. A cena era idêntica, só que era ele que estava por cima, com uma espada de madeira apontando para seu mentor que estava caído e desarmado. Bastava golpear a espada e ele iria ganhar o primeiro duelo com seu mentor. Mas a espaca caiu acertando apenas o solo – seu mentor tinha rolado para o lado, pego a espada, e golpeado com força o tornozelo, fazendo-o cair e deixando-o a mercê do seu mentor. Neste momento, ele sabia o que ele tinha que fazer para derrotar o ogro. Um momento de interpretação e que o jogador criou para enriquecer o jogo naquele momento. Qualquer um diria que seria um excelente momento narrativo e de interpretação do personagem. Você já viu isso em […]

Leia Mais →

Podcasts de RPG

Recentemente me viciei novamente em podcasts de RPG graças a sugestões do Rocha, e para agilizar a indicação deles para o povo, aqui vai a lista do que eu ando escutando e do que eu coloquei na lista mas ainda não consegui escutar: The Walking Eye – os caras postam sessões de jogo com RPGs indies, depois fazem a resenha e depois só pra finalizar ainda entrevistam o designer. Eu não tinha muito saco para ouvir Actual Plays antes, mas só as resenhas e entrevistas já valem a pena. De qualquer forma, escutarei os APs novamente. Jogador Sonhador – Esse é um dos melhores que ouvi até agora, o Ricardo fala muito bem e mesmo com o sotaque português é ainda bem fácil de compreender para nós brasileiros. Os assuntos são muito interessantes e é sem dúvida o melhor em português. Narrative Control – Este também achei muito bom, e eles mencionam várias vezes a campanha deles de Burning Wheel, o que pra mim é melhor ainda. O episódio 68 foi o melhor que ouvi deles até agora. Master Plan Podcast – Esse é especificamente sobre Game Design, com muitas entrevistas com designers famosos. Ele está voltando agora, então pode valer a pena acompanhar. Theory from the Closet – Focado na teoria do RPG mas também recheado de entrevistas com game designers, este eu já conhecia de indicação do Tio Nitro mas estou reescutando desde o início para relembrar a […]

Leia Mais →

Personagens – Burning Wheel

Eis os BITs dos personagens da campanha de Burning Wheel: Thiago Beliefs Descobrir o envolvimento dos alunos na conspiração reaper Apoiar Eris para que ela me leve ao poder. Lábia é sempre a primeira resposta para qualquer problema.  Instintos Sempre sorrir para belas mulheres Sempre evitar confronto físico.  Traits Colorful, light sleeper, recondite, thick skin, rapier wit, charming  Relationships Reputation 1D: Resolver problemas Affiliation 1D: Com as viúvas da caravana Amante (tesoureira) Aliado (guerreiro) Inimizade: Joseph, filho de Lucy, viúva Breno Beliefs Por mais que eu odeie aquele projeto de mago, irei atrás dele. Sei que minha princesa ficaria muito triste se algo acontecesse. Essa minha “dívida eterna” me obrigará a estar ao lado de Eris, por mais que eu tema sesus poderes. Minha família acima de tudo. Deixo de lado qualquer código moral ou dever por eles.  Instintos Sempre que me sentir ameaçado, puxar a espada. Manter as armas em boas condições.  Traits Ligado a família, mercenary, fearles, stubborn, iron will  Relationships Esposa, famílai próxima, pouca importância Filha, famílai próxima, pouca importância Mari Beliefs  A magia é mais valiosa que qualquer outra coisa. Vou encontrar os alunos, redimi-los e acolhe-los para desenvolver seus talentos. Devo mostrar que a lealdade dos meus aliados serão recompensadas. Serei uma boa líder sem demonstrar fraqueza. Vou tomar o poder da caravana, estabecê-la e criar um reino a partir dela. A magia deve ser reconhecida como o único caminho para a prosperidade.  Instintos Nunca […]

Leia Mais →

Improvisando sem destruir tudo

Recentemente consegui começar finalmente um jogo de Burning Wheel. Segui a receita do Adventure Burner a risca – criação de cenário, situação e personagens em grupo, todos criaram personagens profundos, beliefs e instincs interessantes e todo mundo ficou empolgadíssimo para jogar. E nós conseguimos jogar, embora por pouquíssimo tempo devido a ter gasto todo o restante do tempo terminando os personagens. Comecei o jogo de fato com uma cena que eu estava na cabeça e que envolveria todos os personagens ao mesmo tempo na situação inicial que todos ajudaram a criar. Tudo parecia ótimo…. … Até que eu travei. Eu tinha planejado apenas aquela cena inicial, nao tinha mais nada na minha cabeça. Não tinha motivações, npcs, consequências, nada. Simplesmente um branco enorme, que me fez encerrar a sessão depois de apenas uma hora de jogo. Todos gostaram, se interessaram muito pelo jogo e me pedem até agora para continuar, mas a verdade é que eu fui dominado pelo meu próprio fracasso. Afinal, em todo lugar eu tinha lido que eu nao precisava planejar a historia, que tudo ficaria a cargo dos jogadores… Mas pra mim isso foi um desastre. Rapidamente fiquei sem saber como conduzir esse jogo e admiti a derrota, encerramdo a sessão. Mas afinal, o que deu errado? Passei algumas semanas tentando pensar em uma saída para o dilema que não fugisse do estilo “narrativo” , onde os jogadores é que criariam a história… Mas não consegui […]

Leia Mais →

Aprendendo com RPG

Existe uma boa possibilidade de nos próximos dias eu começar uma campanha – provavelmente – com apenas um jogador, mais precisamente minha esposa. Isso por si só já é uma conquista, pois ela não gosta de RPG, então eu vejo nessa possibilidade um grande desafio, que se não der certo, pelo menos será tentado. Mas a proposta não é jogar por jogar e sim, ensinar inglês, mas como fazê-lo? Depois de matutar um pouco resolvi fazer as coisas da seguinte forma, minha esposa interpretará uma personagem que de alguma forma foi parar num país que não fala o seu idioma – no caso, os habitantes só falam inglês – e ela não terá como aprender, a não ser de verdade e na prática. O Sistema Fui para um lado, fui para outro e acabei puxando da estante o Player’s Handbook do D&D 4th Edition e mal ela fez algumas escolhas, resolvi que ele não se encaixava na proposta que quero usar, então o sistema vai ser mesmo o que tenho mais jogado atualmente, o Lamentations of the Flame Princess. O Enredo A história começará quando a personagem acordar no meio dos escombros de uma vila portuária em chamas. Sem memória, a personagem não saberá o que a levou até aquele local, nem o que aconteceu. Ao andar pela cidade, a personagem perceberá que algumas placas estão escritas num idioma que ela não conhece – ou pelo menos conhece muito pouco […]

Leia Mais →

LotFP – Sessão 5

Hoje “terminamos” a aventura Tower of the Stargazer e o final, bem, ele não foi como o esperado, pois terminou antes do final. Após brincar na frente dos espelhos, conseguindo melhorias e degradações permanentes para seus personagens, os jogadores resolveram “arregaçar”. Nesta quinta sessão compareceram apenas Alexsandro com seu irmão Aroldo e o Matheus, que interpretam respectivamente o Especialista, o halfling e o elfo. Na sessão anterior os jogadores estavam “se olhando nos espelhos” e a sessão terminou após o halfling ser retirado catatônico da frente de um dos espelhos. Nesta sessão, alguns personagens, cujos jogadores não vieram, foram jogados diante do espelho e na maioria, conseguiram bons resultados. Apenas o guerreiro, personagem do Hemerson – que não veio e me disse que não se adaptou ao sistema – foi colocado na frente de um espelho e ao não passar no teste de resistência foi sugado para dentro dele. Depois de muita discussão, um dos personagens quebrou o espelho e embora a aventura não tivesse descrevendo esta possibilidade, os pontos de vida do guerreiro – que morreu – foram divididos entre todos os outros remanescentes, inclusive o mago, que conseguiu ficar com um ponto de vida e se levantar. Curioso, o mago, recém-levantado vai pegar uma costela do morto sobre a mesa e a criatura se levanta dando porrada com as tripas em todo mundo, mas logo cai, sem conseguir derrubar ninguém. Logo, os personagens vão investigar a outra porta […]

Leia Mais →