Murder in Baldur’s Gate

Me enquadro entre os entusiastas da nova edição de D&D e fã de Forgotten Realms, motivo pelo qual, tão logo consegui uma brecha no orçamento, fiz um apanhado de todas as aventuras compatíveis com o D&D Next e adquiri todas, fossem em PDF ou impressas. Para quem não está acompanhando, até agora foram publicadas quatro aventuras em pdf compatíveis com as regras do D&D Next: Vault of the Dracolich Ghosts of the Dragonspear Castle Dreams of the Red Wizards: Scourge of the Sword Coast Dreams of the Red Wizards: Dead in Thay Além das quatro aventuras acima, duas outras foram publicadas no formato impresso: Murder in Baldur’s Gate Legacy of the Cristal Shard As aventuras impressas fazem parte do plot  The Sundering, uma série de eventos que vai abalar novamente os Reinos Esquecidos e está sendo apresentada na forma de aventuras e romances, alterando os Reinos para a quinta edição do  nosso amado/odiado Dungeons & Dragons. Iniciei a leitura do Murder in Baldur’s Gate e fiquei muito animado com alguns elementos particulares da aventura, algo que acredito, mas ainda não tenha confirmado, se estende para a Legacy of the Cristal Shard. MURDER IN BALDUR’S GATE Baldur’s Gate ou Portal de Baldur é um local que invoca, pelo menos em mim, a lembrança imediata dos jogos da série: Baldur’s Gate Baldur’s Gate II – Shadows of Amn O mais interessante é que a presença de pelo menos um dos personagens da série, Abdel Adrian, desencadeia toda a série de […]

Leia Mais →

Mistério

No artigo Um elemento para todos ligar, discuti a presença da investigação como um elemento de união entre todos os sistemas, embora ocupe papel central em apenas poucos títulos, como títulos da linha GUMSHOE. De uma forma geral, todas as aventuras/cenários/campanhas, giram em torno de elementos de investigação e se existe investigação, necessariamente existe um mistério, a partir do qual toda a trama irá evoluir. —- 1. Os kobolds, criaturas covardes, passaram a atacar caravanas nas colinas. Este é um elemento muito simples de mistério. Os kobolds, que são criaturas covardes, estão atacando caravanas. O que está levando-os a esta mudança de comportamento? Aventureiros são recrutados para por um fim aos ataques, mas acabam descobrindo que eles estão sendo forçados por um dragão maligno que se instalou na área e cobra pesados tributos das odiosas criaturas. 2. Um homem morre vítima de um ataque cardíaco, mas a família acredita que ele tenha sido assassinado, pois o homem não tinha nenhum problema cardíaco. Certos de sua teoria, contratam um grupo de detetives particulares, que se deparam com uma verdade muito mais aterradora. —– O “mistério”, em essência, é sobre a busca do ser humano pelo conhecimento. Os jogadores, através de seus personagens, precisam restaurar a ordem, manter a honra e a integridade intactas a despeito da corrupção e indiferença do sistema. As aventuras investigativas envolvem razão e lógica, que somadas a perseverança, levam os personagens a triunfarem sobre inteligentes esquemas criminosos. […]

Leia Mais →

Além do feudalismo

O D&D Next está às portas. Dentro de poucos dias, o primeiro produto da série será lançado e aqueles que se adiantaram às compras, poderão em breve tê-los em mãos. A Wizards of the Coast voltou a produzir artigos mais específicos, com mais detalhes sobre os lançamentos, sobre os produtos e isso vai instigando ainda mais os veteranos jogadores de D&D, ansiosos para ver, pelo menos, como a nova edição vai se parecer. Observando o site dos magos da costa, me deparei com um excelente artigo e pensei, porque não traduzi-lo? Ele faz uma retrospectiva história dos gêneros de D&D e como, ao longo dos anos ele quebrou as amarras do modelo feudal, fazendo um apanhado dos produtos que foram essenciais para esta mudança. O artigo foi originalmente publicado por Shannon Alpacline e publicado no site da Wizards of the Coast com o título Beyond Feudalism: Experimental Genres. ———- As origens do Dungeons & Dragons datam da Castles & Crusades Society (1970 – 1972), um grupo focado em jogos de guerra medievais. A partir deste grupo, foi concebido o jogo de guerra medieval Chainmail (1972), antes de finalmente nascer como OD&D (1974). Não é nenhuma surpresa que o RPG resultante seja fortemente baseado em combate medieval. Mesmo em seus primeiros dias, D&D experimentou mover-se além do feudalismo, incorporando outros gêneros aos seus mundos medievais. Estes gêneros experimentais culminaram com um par de lançamentos inovadores em 1985 – onze anos após […]

Leia Mais →

Minha trilha investigativa

Saudações, operativos. A série Arquivos X foi um marco na minha relação com a televisão e com os seriados, sendo o primeiro seriado, que eu efetivamente acompanhei. Iniciado em 1993 e finalisado em 2002, ele inspirou muitos seriados (que eu considero) fantásticos, como Millennium (1996 a 1999) e Fringe (2008 a 2012) – que eu assisti – e True Detective (2014) – este ainda não vi sequer um episódio, mas foi muito recomendado. Acredito que poucos RPGistas que tenham acompanhado esses seriados, em um momento ou outro, não tenham pensado em jogar aventuras naquele estilo, interpretando agentes especializados que lidam com ameaças sobrenaturais/alienígenas/etc., algo possível apenas (posso estar enganado e me corrijam se eu estiver) com o lançamento do GURPS Horror, publicado em pt-br pela Devir em 1995. Embora o foco do GURPS Horror seja “descrever cenários de terror baseados nos melhores (e piores) filmes e livros do gênero” e não necessariamente aventuras investigativas, já foi possível sentir um gostinho dos seriados investigativos com este livro (pelo menos isso aconteceu com meu grupo). Depois do GURPS Horror, outro RPG no qual exploramos aventuras investigativas, foi o Storyteller, com o suplemento Caçadores Caçados, lançado pela Devir em 1997. A partir de 97, os livros em inglês começaram a fazer parta da minha biblioteca, mas eram, em sua quase totalidade relacionados a Idade Média ou ao Dungeons & Dragons, nada de RPGs investigativos, que na época, contava, provavelmente, com apenas um grande […]

Leia Mais →