Caos no Velho Mundo

Publicado por

A Fantasy Flight Games lançou um jogo Warhammer: Chaos in the Old World. O jogo, baseado na mitologia de Warhammer coloca os jogadores nos papéis de um dos quatro poderes do caos e o objetivo do jogo nada mais é do que devastar o Velho Mundo.

Chaos in the Old WorldUma das grandes sacadas do jogo é que cada grande poder possui uma forma diferente de atingir seus objetivos, tendo que utilizar diferentes estratégias para alcançar a vitória.

Se não bastasse ter de lutar para devastar o mundo contra os outros três grandes poderes, o Velho Mundo também resiste. De todos os jogos de tabuleiro que já joguei até hoje, no estilo de combate este foi o que mais me agradou.

O tabuleiro é belíssimo, mostrando um mapa que representa as regiões que serão disputadas pelos poderes, como se fosse desenhado em couro e esticado por anzóis. Cada um dos poderes possui um disco de ameças, que ao ser girado se constitui em uma forma de alcançar a vitória no jogo.

warhammer_1
Demonstração de Chaos in the Old World pela Fantasy Flight.

A primeira partida foi recheada por vários erros na preparação, mas foi bem divertida. Existem conflitos entre textos no livro de regras e nas fichas dos poderes que trazem grande desequilíbrio para o jogo, mas um FAQ oficial no site da Fantasy Flight Games dirime as dúvidas que por ventura possam aparecer.

MiniaturasCada um dos poderes pode convocar para o tabuleiro seguidores que o ajudarão em sua batalha para corromper o Velho Mundo e arruinar regiões.

Da esquerda para a direita estão apresentados os cultistas, os guerreiros e o grande demônio ou avatar do poder do caos.

As miniaturas vermelhas são uma representação de Khorne o senhor da guerra! Khorne é excelente combatente e pode alcançar a vitória mais rapidamente com o disco de ameças quando mata seguidores de outros poderes.

As miniaturas verdes representam Nurgle, o grande senhor da decadência. Nurgle traz doenças e pestilências para o Velho Mundo. Ele movimenta o disco de ameaças corrompendo áreas povoadas, porém, é mais fácil vencer o jogo por outros meios do que avançando o disco de ameaças.

As miniaturas azuis representam Tzeentch, senhor das mudanças. Avançar no disco de ameaças é fácil quando ele consegue corromper regiões que tenham gemas da corrupção (warpstones), gemas que são a condensação do caos no Velho Mundo.

As miniaturas púrpura representam Slaanesh, o guardião dos segredos. Para avançar no disco de ameaças o jogador deve corromper áreas onde os nobres do Velho Mundo estejam. É considerado o personagem mais versátil.

Existem muitos outros aspectos do jogo além do que eu descrevo aqui que tornam o jogo absolutamente fantástico. Para não dizer que ele é perfeito, vou apontar alguns aspectos que podem ser considerados negativos:

  • Dependência do idioma: As cartas que fazem o jogo andar possuem uma grande quantidade de texto em inglês, o que pode tornar difícil a vida de quem não tem costume com o idioma inglês;
  • Conflito de regras: A ficha dos poderes possuem algumas informações contraditórias com o livro de regras e quem não se habilitar a pegar o FAQ oficial vai sentir um forte desequilíbrio em favor de Slaanesh.

Provavelmente existem outros aspectos que estou ignorando agora, mas que quem já jogou ou ainda vai jogar poderá contribuir aqui com a discussão.

Em breve estarei disponibilizando por aqui minha versão traduzida das regras desse jogo maravilhoso da Fantasy Flight, mas para quem quiser ir dando uma olhadinha, estou disponibilizando três arquivos:

Chaos in the Old World Rulebook

FAQ

Resumo de Chaos in the Old World pela Universal Head

14 comentários

  1. então né? Que que eu vou dizer???O jogo é de uma elegancia extrema e uma beleza de componentes que já é padrão da Fantasy Flight.ainda não joguei o meu, mas não demora! heheé uma BAITA aquisição.

    Curtir

  2. Obrigado por comentar grande Kirlian.Sem dúvida os jogos da FFG são maravilhosos.Por enquanto tenho apenas o Arkhan Horror, mas em breve começarei a aumentar a coleção [se a quarta edição me permitir] 😀

    Curtir

  3. Não é isso?Mas como minha esposa não joga RPG, mas adoro jogos de tabuleiro, tenho que começar a investir em alguns jogos que ela goste e que não sejam cooperativos – ô mulher competitiva.

    Curtir

  4. é verdade, temos q unir o útil ao agradável, sorte q a minha gosta de tudo (quer dizer, tirando jogos de tiro do xbox :p), mas os boardgames que ela mais gosta são os competitivos q tenham intrigas e blefes (ex.: citadels, battlestar (por causa dos cylons), e pq não, poker)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s