Tudo que você queria saber sobre desafios de perícias, mas tinha medode perguntar (Parte 2)

Publicado por

Segunda parte da excelente matéria do Greywulf’s Lair falando sobre os Desafios de Perícias, pois embora eles sejam “relativamente simples” tem sido uma dor de cabeça para muitos narradores e jogadores.

Na primeira parte da tradução deste artigo o Greywulf fala sobre o que é um Desafio de Perícia, tentando jogar mais uma luz sobre este universo tão maravilhoso e ainda tão pouco explorado.

Para os narradores

1. Seja preguiçoso. Não faça o trabalho dos jogadores. Apenas ajuste o desafio e a dificuldade e os deixe trabalhar para resolver o problema. Dê sugestões e divirta-se; transforma a sessão num brainstorm e não em uma sessão de exercício frustrante de “adivinhar o que o narrador está pensando”.

2. A dificuldade do desafio determinará a duração dele no mundo real. Um desafio de complexidade 1 (4 sucessos antes de 3 falhas) é a que causa menor impacto, enquanto um desafio de complexidade 5 (12 sucessos antes de 3 falhas) pode até mesmo formar a base de umas duas sessões de jogo.

3. Deixe claro qual o desafio e o que os personagens precisam fazer para sobrepujá-lo. Isso pode ser tão simples como dizer “Certo, você tem que passar pela Torre de Guarda. 5 sucessos antes de 3 falhas. O que vocês farão?”

4. Se eles conseguirem passar pelo desafio antes do número de sucessos sugeridos recompense-os por vencer o desafio completo e siga adiante. Não prolongue um desafio de perícias desnecessariamente.

5. Lembre-se que um combate pode ser parte de um desafio de perícias. Se eles ganharem a batalha, isso conta como um sucesso.

6. Alternativamente, um desafio de perícias pode ser parte de um combate! Passar sobre uma ponte pode soar fácil, mas tente fazê-lo enquanto uma horda de orcs o persegue…

7. Desafios de perícias valem experiência – eles contem como um número de monstros igual a sua complexidade (complexidade 1 = 1 monstro, complexidade 2 = 2 monstros, etc). As CD que você escolhe para as perícias determinarão o Nível do desafio. A página 42 do Guia do Mestre é seu amigo, guia e mentor.

8. Utilize os Desafios de Perícias para manter a ação. Se os jogadores necessitam ir do ponto A ao B e sentir que eles terão atingido alguma coisa ao atingir o ponto B, faça da jornada um Desafio de Perícias.

Não vai ser tão fácil chegar lá! Desafio de Perícias: 5 sucessos antes de 3 falhas.
Não vai ser tão fácil chegar lá! Desafio de Perícias: 5 sucessos antes de 3 falhas.

9. Os Desafios de Perícias também podem ser um controle de zoom. Use-os para focar em uma cena importante (persuadir o Rei a garantir seu Perdão por matarem seu conselheiro maligno) ou para cobrir um evento de larga escala (uma guerra entre nações). A despeito do que o narrador diga, os Desafios de Perícias não precisam ser jogadas rodada a rodada. Enquanto algumas ações levam apenas alguns momentos (o ladrão furtando bolsos), outras podem levar horas, dias ou mesmo meses em tempo de jogo. Se o Desafio de Perícias for “Como Matar o Rei Lich” então uma única jogada de Arcanismo pode representar meses de pesquisa, um teste de Vigor para uma longa viagem pelo Deserto Negro e um teste de Ladinagem para o roubo bem sucedido da Filatéria do Lich dos membros da Tribo dos Imortais. Controle de zoom novamente.

10. Você também pode usar os Desafios de Perícias colocando-os um ao lado do outro. Talvez passar pela guarda possua Complexidade 2 e ser bem sucedido neste desafio conta como um sucesso na cobertura do arco de desafio Roubo do Cálice de Ouro. Pense muito nisso e seu cérebro vai doer – mas funciona!

11. Eles podem ser usados para dividir o grupo – normalmente algo indesejável. Um jogador poderia gastar um dia inteiro pesquisando em uma biblioteca (talvez ajudado por um ou mais personagens usando Ajudar – veja abaixo) enquanto outro grupo de personagens está tentando invadir o esconderijo do vilão (talvez usando Atletismo e Furtividade) ao mesmo tempo; tudo que você precisa é uma forma de comunicação entre os dois grupos. O grupo de pesquisa deve correr contra o tempo para encontrar a magia/mapa/desenho correto do Artefato Maligno enquanto o time de assalto se posiciona. Adicione um encontro de combate (mais se eles falharem nas jogadas de Furtividade) que conta como um sucesso se eles sobreviverem. Deixe o grupo de pesquisa controlar os caras maus durante o combate e você, oh sábio e preguiçoso narrador, pode sentar-se e divertir-se com o jogo.

Acima de tudo – lembre-se que os Desafios de Perícias são uma ferramenta de interpretação desenvolvida para deixar os jogadores brilharem.

Então, deixe-os brilhar!

Para os jogadores

1. Seja seu personagem e interprete o desafio. Se seu personagem for falador, seja falador. Se ele for mais silencioso e físico, tenha uma aproximação mais direta. O sistema dos Desafios de Perícias existe para encorajar a interpretação. Pense “o que meu personagem faria?” primeiro, então traduza isso para os termos de jogo.

2. Você tem perícias na sua ficha de personagem. Use-as. Não existem coisas redundantes em qualquer desafio, existem pensamentos redundantes.

3. Mas também não se limite a lista de perícias. Talvez você possa distrair um guarda debatendo sobre os últimos Jogos Gladiatórios (Carisma x Vontade), desafiá-lo para uma luta (Força x Fortitude) ou um ótimo jogo de xadrez (Inteligência x Inteligência). Seus bônus de atributos são como perícias não treinadas que cobrem tudo que a sua lista de perícias não cobre.

4. Falhar é uma opção. Obter três jogadas falhas significa que seu personagem não conseguiu realizar o que estava tentando fazer. Você volta para o ponto inicial e precisa encontrar novos usos para suas perícias e uma maneira diferente de seguir em frente. Boa sorte com isso!

5. Mas não se desespere! Pense sobre seu ambiente. Talvez exista próximo um suprimento de pranchas de madeira (sempre boas para escalar sobre as coisas) ou um mercador amigo que você possa subornar. Ou seqüestrá-lo e roubar suas roupas. Seja lá o que for. Lembre-se que existe sempre mais de uma forma de esfolar um goblin (embora usar uma faca afiada seja provavelmente a melhor forma).

6. Se puder, jogue com suas forças. Se sua melhor perícia for Acrobacia então tente encontrar muitas formas de usá-la. Isso pode ser desafiador se o desafio envolver negociações comerciais (se equilibrar em uma viga logo acima das cabeças dos mercadores para espioná-los, talvez).

7. A manobra Ajudar é sua amiga. Use-a para ajudar os outros a conseguir sucessos que você não pode obter. Um
teste de perícia com CD 10 concede a um aliado um bônus de +2 em sua jogada. Talvez você esteja posicionado ameaçadoramente nos fundos (Intimidação) enquanto o bárbaro ameaça o prisioneiro, persuadindo-o numa disputa (Vigor), ajudando-o na pesquisa por um ritual obscuro (Arcanismo) ou ajudando-o em uma prece por libertação (Religião).

8. Se você não fizer nada, isso conta como uma falha. Não seja O CARA! Se puder, role os dados. Se achar que não será bem sucedido, use Ajudar e ajude na rolagem de alguém.

9. Dizer “Eu rolo Manha. O que eu descubro?” é como dizer “Eu acertei ele” em combate. Isso não é interpretação. Entre no espírito das coisas! “Eu vou procurar nas tavernas locais por informações. Talvez alguém tenha ouvido algum boato sobre um dos Guardas que possamos usar para chantageá-lo.” Assim é muito melhor.

10. Acima de tudo, Desafios de perícias existem para encorajar o trabalho em equipe e a interpretação. Eles existem para fazer os heróis brilharem. Então brilhe pequeno gafanhoto!

Brilhe!

Espero que tenham gostado e comentem!

3 comentários

  1. Muito boa a série!Eu ainda não consegui introduzir o desafio de perícias para meu grupo, pois na minha mesa, ou é combate ou interpretação, como o desafio fica meio termo, eles ainda não adaptaram ao estilo dos desafios.Ex.: Fiz um desafio de perícias para atravessar um ermo gelado. Então eles ficaram esperando eu narrar a viagem, enquanto faziam testes de percepção, ou eu colocava um mostro para combater.Talvez um exemplo de jogo possa ser mais fácil de mostrar aos jogadores para introduzir o desafio de perícias, e aquele do Guia do Mestre não se saiu muito bem para isso.Abraços!

    Curtir

  2. O problema dos desafios de perícias, pelo menos no meu ponto de vista, é que ele pode ser muito subjetivo e os narradores e jogadores precisam explorar todo o potencial das pericias para introduzí-las.Eu recomendo os sites Rolando 20 [http://www.rolando20.com.br] e o Nitro Dungeon [http://newtonrocha.wordpress.com/%5D (pelo menos são os que primeiro vem a minha cabeça para ver os desafios de pericias, além da série de matérias traduzidas aqui mesmo no Trampolim RPG [http://trampolimrpg.com.br/?cat=13%5D que ajudam a elucidar o mistério chamado Desafios de Perícias.No mais, concordo plenamente que o Guia do Mestre não ajuda muito na confecção dos Desafios de Perícias, e tenho esperanças que o Dungeon Master Guide 2 trará luz a esse mundo maravilhoso.

    Curtir

  3. Esses dois posts ajudam bastante.O único desafio de pericias que eu já coloquei pro meu grupo foi uma tempestade no mar. A galera encarou bem a situação, mas acho que ainda da pra melhorar. Ultimamente eu tenho tentado bolar desafios de pericia mesclados aos combates ou a armadilhas…vamos ver como meu grupo reage a eles quando voltarmos a jogar (no fim do ano).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s