One shot: A casa dos mortos

Publicado por

One shot #04 A casa dos mortos

Iniciando nossa série de encontros semanais, a coluna “One Shot” trará ideias para suas aventuras. A princípio não trato de um único sistema, mas no decorrer destas linhas muitas vezes surgiram citações, descrições e regras voltadas a jogos como o D&D, WoD e muitos outros. Então convido vocês a darem segmento a essa nova empreitada.

Aventura: A casa dos mortos

Nossa enigmática aventura começa 40 anos antes do tempo atual, na verdade aqui estaremos inserindo além de uma possível aventura uma nova técnica (nem tão nova assim) que já utilizo em minha mesa de RPG. Para iniciar a seção necessitaremos de alguma preparação, nossa aventura irá ser narrada no tempo passado e suas impressões irão afetar fortemente as ações dos personagens no futuro, nosso primeiro passo é elaborar novas fichas de personagem e entregar aos jogadores hoje você vão jogar com esses personagens o principio dessa roupagem é fazer com que os jogadores e jogadoras criem uma conexão com esses personagens, vocês daqui a pouco vão entender do que se trata.

Nossa aventura será passada em uma casa mal assombrada, o clássico dos clichês, no entanto a releitura desse conceito irá provocar em seus jogadores as sensações necessárias para suscitar um momento interpretativo interessante.

Os personagens entregues pelo mestre devem ser atraentes e ter é claro todo um prelúdio conjunto, possibilitando um contexto, eles estarão investigando o desaparecimento de algumas pessoas próximas a um velho pântano em Nova Orleans (por exemplo). Nossa casa mal-assombrada só aparece de tempos em tempos e suas principais presas são mulheres e homens de uma etnia especifica (a escolha do narrador). O espirito preso na casa é de um general que foi morto à traição, ele tenta capturar pessoas da mesma etnia de seu algoz e é obstinado em reviver a noite de seu casamento, capturando também outras pessoas e espíritos para fazerem a vez de seus convidados.

Este pântano recebe visitas frequentes de mulheres que deixam oferendas à Senhora do Pântano, dizem ser uma mulher e sempre é vista vestida de noiva. Ela recolhe suas oferendas antes de partir, os relatos mostram que as mulheres que tiverem suas oferendas levadas se casam em menos de um ano.

Com todos esses acontecimentos, os personagens que atuam como caçadores do sobrenatural iram despontar em busca de respostas. Eles acreditam que as lendas entorno da Senhora do Pântano são mera crendice, mas o sumiço de pessoas e relatos sobre um casarão em meio as brumas da área são uma pista e tanto, algumas outras pistas:

– Um homem recebeu um ferimento à bala (virote ou mesmo flecha, variando pela época/estilo da narrativa) ao passar pela estrada próxima ao pântano, ele diz ter visto um homem fardado caçando e repentinamente sentiu uma queimação no braço direito (apontando o ferimento), ele lembra ter visto o caçador já em cima dele e então a figura desapareceu;

– Um grupo de vendedores foi encontrado morto próximo à localidade, eles não tinham qualquer marca e apenas os alimentos foram levados;

– Os moradores já dão notícias de duas pessoas que sumiram, a filha de um rico comerciante e um capataz da fazenda de porcos próximo à saída da cidade,

– Pesquisando em livros mais antigos sabe-se que houve na região um confronto militar, próximo à localidade um dos oficias destacados para organizar o exército foi morto friamente por simpatizantes do exército inimigo, seu corpo jamais foi encontrado. Não existe registro de queixa crime ou mesmo de busca pelo corpo, parece que as pessoas daquela época desejavam realmente esquece-lo.

Com essas informações apresentadas as informações para solucionar o mistério, você deve criar um pouco de dificuldade, a movimentação no pântano é muito arriscada e seus perigos são bem conhecidos. Uma série de escravos zumbis estarão a volta do casarão, eles não oferecem qualquer empecilho, na verdade estão lá apenas para manter limpo e arrumado todo espaço exterior da suntuosa mansão.

Se desejarem adentrar o local perceberão algumas mudanças, o ar mais pesado e o inicio de uma aparente fadiga. A presença da entidade é tão avassaladora que simplesmente pode enfraquecer os que não foram por ele convidados, realmente o espirito é poderoso e demonstrará isso ao aparecer, depois de brincar um pouco, diante dos/das personagens. Este ira se divertir caçando-os e não demonstrará escrúpulos até matar todos os ratos que invadiram seu respeitado lar.

Caso os personagens tentem ludibria-lo este até poderá cair na conversa, mas quando perceber que um dos personagens é de ascendência a etnia de seu carrasco ele surtará e atacará com todas as suas forças.

Use a casa como um joguete separando os personagens, cace-os sem dar chance essa é a forma de agir deste homem. A casa em si é um verdadeiro labirinto, repleto de armadilhas (afinal o ex-general tem como hobby a caça) com diversos espíritos aprisionados como troféu, os personagens podem até fugir, mas seu objetivo aqui é matar um ou dois, olha ai que divertido.

Coronel Augusto Davidson, militar a serviço da guarda de sua nação com diversas honrarias e títulos, desde jovem se destacou em tiro e subiu rapidamente chegando as patentes de comando. Acumulando diversos títulos e funções, liderou mais de uma vez os exércitos locais em marcha, casou-se cedo e não teve filhos. Os que ainda recordam de seu casamento dizem nunca tê-lo visto tão feliz e amigável, na verdade Coronel Davidson é um homem amargo e intolerante, que despreza as pessoas que não tem um status social equivalente. Sua mulher morreu cedo, vitimada por uma doença e ele não duraria muitos anos. Quando se preparava para sair em sua ultima caça antes de liderar as tropas foi alvo de uma emboscada e pereceu sem deixar qualquer vestígio, até hoje às pessoas dizem que ele voltará para assombrar os descendentes de seu assassino.

Depois de trabalharmos estes novos personagens é hora dos jogadores e jogadoras receberem suas velhas fichas de volta, é ai que a aventura vai começar. O problema de 40 anos atrás não persiste, na verdade a cidade se afastou do pântano bem como as rotas comerciais, mesmo assim, o mistério continua. Os personagens agora podem encontrar resquícios dos escritos em textos antigos, inclusive os sobreviventes da mansão (os outros personagens) poderão ter deixado dicas sobre o ocorrido e talvez um deles ainda esteja vivo, isso fica a sua escolha.

Para inserir esta aventura em sua campanha o ideal é que os personagens estejam à busca de algo e suas pesquisas indiquem o local, quem sabe um deles não está atrás de um parente perdido naquela região? Adicionar está aventura com um clima de mistério e tensão ajudaria muito, quem sabe um deles não comprou o diário de um dos personagens em uma livraria? Temos ai inúmeros ganchos para que você possa inserir essa aventura em sua campanha.

Outra possibilidade a ser explorada é a da Senhora do Pântano que poderia ser o espirito da esposa de Davidson, talvez se os dois se encontrassem a maldição da casa mal assombrada poderia ser quebrada e seus espíritos finalmente descansassem em paz.

Espero que tenham gostado pessoal, uma aventura com alguns ganchos fáceis de inserir em sua campanha e que pode através de uma metodologia diferente na narrativa, trazer o entusiasmo de volta a sua mesa, já que depois de certo tempo acaba por ficar maçante jogar com o mesmo personagem por muito tempo. Um grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s