Um Monge em RuneQuest 6

Outro dia comecei a mestrar uma aventura, que gostaria que se transformasse em uma campanha, usando o sistema RuneQuest 6, onde dois jogadores, interpretando irmãos, lutam – pelo menos lutavam – nas ruas de Baldur’s Gate para provar a inocência de seu pai no contrabando de reagentes necromânticos para dentro da cidade, o que levou a sua morte e a ruína de sua casa.

Um dos personagens interpreta um ladrão, enquanto o outro um místico, que difere sobremaneira da visão do monge que eu tinha em D&D.

Em RuneQuest 6 todos os personagens possuem uma reserva de pontos de magia, mesmo aqueles que não são usuários de magia, que  é igual a Característica PODER do personagem. Essa mesma reserva de energia pode ser utilizada para abastecer poderes místicos (monge), magia popular (magia mais comum, usada pelos pequenos magos), animismo (a magia dos druidas), feitiçaria (efeitos mais poderosos e moldáveis) e teísmo (magia divina).

Dentre os cinco tipos de poderes, os poderes místicos são aqueles que são considerados menos extraordinários, pois focam exclusivamente na melhoria de habilidades do próprio místico, enquanto outras habilidades podem ser usadas para melhorar habilidades de outros personagens.

Os poderes místicos dividem-se em três categorias: melhoria de perícias; invocar características; melhorar atributos.

Os atributos em RuneQuest são características como Pontos de Ação (se um personagem ficar sem Pontos de Ação não poderá agir mais na rodada), modificador de dano (dados de dano bônus), pontos de vida (isso aumenta a quantidade de pontos de vida do personagem), etc.

Invocar características seriam aqueles efeitos mais dramáticos, como controle de fome, imunidade a um determinado tipo de dano (perfurante por exemplo) ou não necessidade de respirar.

O místico também pode melhorar suas perícias, reduzindo a dificuldade para realizar determinadas ações, como por exemplo, Melhorar Perícias (Furtividade), poderia permitir que um personagem conseguisse esgueirar-se mesmo sob condições adversas, reduzindo consideravelmente as chances de ser visto ao tentar entrar em um edifício por exemplo.

O monge da minha aventura é um monge iniciante e possui dois poderes: Melhorar Perícias (Combate) e Melhorar Atributo (Pontos de Ação).

Melhorar Perícias (Combate), além de aumentar substancialmente as chances do personagem ser bem sucedido em um ataque, permite que em uma jogada de aparar, ele possa aproveitar-se da diferença entre os sucessos e conseguir vencer o oponente com maior facilidade. Outro benefício de reduzir a dificuldade do teste é conseguir reagir a situações adversas, como veremos a seguir.

Melhorar Perícias (combate)

Em RuneQuest 6 atacar um oponente normalmente possui uma dificuldade normal, o que significa que o valor que precisa ser obtido no ataque deve ser igual ou menor a sua graduação no estilo de combate. Então, um personagem com habilidade 40% em combate desarmado, por exemplo, teria que obter 40 ou menos em uma jogada percentual. Se o personagem gastasse apenas um ponto de magia, a dificuldade para combater se tornaria fácil e o personagem conseguiria ser bem sucedido em uma jogada de combate, se obtivesse 60 ou menos.

shaolin attack

Defender-se de um ataque tem uma dificuldade normal, mas caso seja atacado por trás, suas tentativas de fazê-lo são feitas com uma dificuldade Hercúlea, o que significa que o personagem faz um teste usando apenas 1/10 do valor de sua graduação na perícia. Sendo assim, se o personagem tem um valor de aparar de 40%, ele só seria bem sucedido se obtivesse 4 ou menos em uma jogada de d100.

Considerando que o personagem ativou essa habilidade anteriormente, gastando 3 pontos de magia, ele faria a jogada usando o nível normal de dificuldade, uma vez que a dificuldade foi reduzida em três níveis (saindo de hercúlea, passando por formidável e difícil e  chegando em normal).

Caso o personagem pudesse gastar 5 pontos de magia, esta dificuldade passaria a ser muito fácil, e o personagem teria nada menos do que 80% de chance de ser bem sucedido.

Melhorar Atributos (Pontos de Ação)

O segundo poder escolhido pelo monge, lhe permite, ao custo de 3 pontos de magia aumentar em um o número de pontos de ação, no entanto, estes pontos de ação extras, só podem ser utilizados para ações defensivas, o que não deixa de ser muito bom, afinal, conseguir evitar um golpe do inimigo é a única forma de manter-se de pé em um combate.

Como o combate em RuneQuest 6 funciona de forma diferente de outros sistemas, ter pontos de ação para a defesa é tão bom quanto tê-los para o ataque, pois o combate funciona resumidamente assim:

  1. O atacante gasta um ponto de ação e faz um ataque, se for bem sucedido ou não, o defensor por gastar um ponto de ação para defender-se do golpe (aparando ou esquivando-se);
  2. O defensor faz a sua jogada de defesa e compara o nível diferencial de sucessos/falha;
  3. Dependendo do vencedor e dos graus de sucesso/falha, é possível que o defensor ou atacante possam escolher entre 1 e 3 efeitos, que vai de uma morte rápida e silenciosa a um desarme, passando por várias outras possibilidades interessantes, algumas das quais limitadas as características da arma utilizada.

Considerações…

O monge de RuneQuest 6 consegue reproduzir em meu imaginário, a visão Wushia não caricaturada, e também longe do visual mangá, que particularmente não faz o meu estilo, aproximando-se do estilo monge de D&D, sem a progressão de níveis. Grande poderes podem ser aprendidos pelo monge, que precisa dedicar-se a aprendê-las no melhor estilo vai ao templo e treine.

A cada nova sessão narrada, o RuneQuest 6 ganha mais o meu respeito enquanto sistema e você? Já testou o sistema alguma vez?

Categorias: Jogos de RPG

Tagged as:

8 comentários »

  1. RuneQuest 6 está a minha estante, comprado em formato impresso em Agosto do ano passado, e é um belo livro! Ainda não joguei o sistema, mas já importei algumas coisas dele para outros jogos que mestrei usando o sistema BRP (que é 95% compatível). Esses seus artigos estão me deixando com vontade de organizar um jogo de RQ6 com o sistema completo!

    Curtir

  2. Grande texto Franciolli.Outra vantagem na flexibilidade dessas regras de “magia” é que você pode pensar em qualquer tipo de personagem com poderes misteriosos. Por exemplo, numa campanha baseada na Pérsia, com esse mesmo conjunto de regras, você poderia fazer os “Imortais”. Numa campanha baseada nas cruzadas, você poderia simular os Hashashin, etc. Combinado com as regras para sociedades secretas, fica perfeito. :)O RQ6 é um grande sistema em todos os aspectos, mas nessa parte de magia e poderes exóticos, em especial, ele brilha demais.Abraço!!!F.C. Pereira

    Curtir

  3. Obrigado Fernando e Pedro pelos comentários.Ainda não domino muito bem o sistema, pois existem muitas nuances do jogo que requerem leitura e releitura, mas se você não os usa, simplesmente não faz falta e gosto desse sentimento de modularidade. No meu cenário não tem magia divina, ótimo, eu nem olho este capítulo. Não tem magia? Perfeito, eu ignoro TODOS os capítulos sobre magia e está ok, sem prejuízo algum.Do ponto de vista de adaptação, eu acho que o BRP é melhor, mas é só uma impressão que fica, talvez pelo seu aspecto realmente genérico, enquanto o RQ6 tem um feeling específico.

    Curtir

  4. Olá!O RQ6 vem me parecendo um bom sistema modular, baseado nas suas observações sobre o mesmo. Eu dei uma lida rápida no sistema e devo confessar que me pareceu interessante e completo. Entretanto, meu gosto atual por sistemas mais “leves” não me deu a oportunidade de testá-lo ainda. Quem sabe no futuro eu proponha um jogo ao meu grupo usando-o.Até and Bye…

    Curtir

  5. Já adicionei A Forja RPG nos meus favoritos, só por causa do RuneQuest (e BRP)! Esse RQ6 é do “balacobaco”. Tem o Mongoose RuneQuest II (que seria o RQ 5ª ed.) que é totalmente OGL (open game), e dizem que o Whitaker e o Nash saíram da Mongoose para escrever o RQ6, aliás, escreveram o RQ5 também. Então dá pra usar o OGL dp RQ5 numa boa. Eu estou traduzindo o OGL do RQ4, devo terminar logo.

    Curtir

  6. Salve Franciolli!!! legal o post… cara onde fico sabendo mais sobre RQ6?!?!?! Existe algo em português (ou em inglês). O RQ5 é compatível?!?!Abraços!

    Curtir

  7. Os RQ são compatíveis e para saber mais sobre ele, consulte o site e o fórum da thedesignmechanism [http://www.thedesignmechanism.com/runequest.php] e o seu fórum, ou simplesmente vá perguntando por aqui que eu terei o maior prazer em responder 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s