Neverwinter Cenário de Campanha

Publicado por

Olhando as matérias que acompanho pelo Google Reader, me deparei com um review do mais novo cenário de campanha – ou seria região detalhada dentro do cenário de campanha de Forgotten Realms? – publicado pela Wizards of the Coast, o fantástico Neverwinter.

Digo fantástico por ter lido o primeiro volume do romance Gauntlgrym, de R. A. Salvatore, narrando a destruição da cidade pelo vulcão – na verdade um primordial do fogo, fato que se dá em meio a uma luta entre poderosas facções que tentam dominar a região, seja destruindo-a completamente ou dominando-os pela força e uma terceira facção que quer vê-la prosperar.

Capítulo 1 – Jewel of the North

O primeiro capítulo, com apenas nove páginas, descreve os arredores de Neverwinter e uma parte da região norte, incluindo um pouco da história e dicas para jogar na região. Não há um avanço na linha de tempo e Neverwinter inicia-se no mesmo ano do cenário de campanha de Forgotten Realms (1479).

Neverwinter é apresentada como uma cidade em ruínas, devastada pela Spellplague e pela explosão de um vulcão (evento narrado em Gauntlgrym que culmina com a morte de Bruenor Batlehammer).

Capítulo 2 – Character Options

Neste capítulo são introduzidos temas, que se apareceram primeiramente no Dark Sun Cenário de Campanha, e foram incorporados aos elementos “descritivos” do D&D 4ª edição (muito bem-vindos eu diria). O livro traz 13 temas exclusivos para o cenário, mas que podem ser adaptados com pouco esforço para outros cenários.

Também são detalhados neste capítulo diferentes tipos de elfos (Moon, Wild e Wood) e anões (Gold e Shield). Essas sub-raças permitem que o jogador substitua traços raciais por algum novo benefício, como os Anões do Escudo (Shiel Dwarf’s) que ganham +5 vs Dano Psíquico. Todas as sub-raças são detalhadas com dicas de interpretação.

Capítulo 3 – Facções e Inimigos

Neste capítulo são apresentados 33 blocos de estatísticas de monstros, listas com monstros apropriados para determinadas facções e é claro as facções que buscam controlar a região – os vultos e o próprio Szass Tam de Thay querem controlar aquela região (pelo menos em Gauntglgrym querem)!

Capítulo 4 – Gazeteer

Este é o capítulo mais extenso do livro, descrevendo localidades e personalidades e como envolver os personagens de acordo com seus temas.

* * * * * * * * * * * * * * *

O livro parece interessante e com certeza gostaria de adquiri-lo, principalmente pelo excelente trabalho de captar a minha atenção feita pelo romance Gauntlgrym que recomendo enormemente a leitura.

2 comentários

  1. Pelo que pude perceber, o livro tem uma grande quantidade de material descritivo, que poderia facilmente ser adaptado a qualquer outra edição (levando em consideração as catástrofes que ocorreram na região).Sem dúvida, mesmo não mestrando a quarta edição por enquanto, este é um livro que eu gostaria de adquirir, pelo apelo histórico que ele tem no cenário e, se preferir, pela luta entre duas facções/nações pela região os Shades e os Thayans!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s