Desafios de perícias 4 [Skill Challenges]

Publicado por

Mike Mearls, em sua coluna Rulling Skill Challenges fala este mês sobre a vida em tempos de guerra.

Grande batalhes tem sido um componente da ficção de fantasia e jogo. As regras de D&D evoluíram a partir do jogo de miniaturas Chainmail. Swords & Spells representou surgiu como um jogo de miniaturas projetado para dar suporte ao RPG que evoluíram a partir dos jogos de miniaturas. Depois, o D&D básico incorporou um conjunto abstrato de regras invocando a máquina de guerra no Companion Set, enquanto o AD&D alardeou o jogo BattleSystem para as suas 1ª e 2ª edições. Finalmente, em 2001 veio outro jogo com o nome Chainmail, que deu passagem ao jogo D&D Miniatures.

Todos esses conjuntos de regras esforçavam-se para responder a uma importante pergunta: como você arrasta os personagens para a batalha? Afinal de contas, D&D é um jogo sobre aventureiros individuais. Quais os efeitos de um Mago de 15º nível numa batalha? Um Protetor de 6º nível pode cortar goblins lacaios de 1º nível o dia todo, mas o que acontece quando 50 membros da milícia local tem que lidar com 300 goblins?

A mecânica dos desafios de perícias se constitui como uma boa aproximação para o combate de exércitos, mas fechado em si, deixa uma grande quantidade de lacunas de informações para o narrador preencher. O que o desafio representa? Quais as conseqüências das falhas e recompensas pela vitória? O que exatamente cada desafio de perícias cobre durante uma grande batalha? A resposta dessas perguntas são a chave para criar os desafios de perícias, mas essas estas respostas podem variar de acordo com o papel da batalha na sua campanha e o papel dos personagens na batalha.

Sua Missão: Divida e Conquiste

O lugar dos personagens na batalha é um aspecto muito importante a se considerar na construção do desafio de perícias. Comandar um exército inteiro é muito diferente de organizar as defesas do portão do castelo. Quando você pensa na batalha, o que os personagens estão fazendo?

Batalha significa ação e não existe maneira melhor de cultivá-la do que encontrar missões ou tarefas específicas para os personagens. Afinal, faz mais sentido para o ladino esgueirar-se por trás das linhas inimigas, um mago conduzir um ritual necessário para impedir que os inimigos continuem convocando demônios, e um guerreiro conduzir um ataque em uma ponte importante.

Ao invés de criar um desafio de perícias grande, crie vários desafios menores e individuais para que cada personagem represente uma tarefa específica durante a batalha. Estes desafios de perícias tem ter uma complexidade de pelo menos 1 ou 2. Eles representam missões específicas designadas a cada personagem. Aqui são apresentadas algumas missões com suas respectivas perícias chave:

  • Ataques e Espionagem (Acrobacia, Blefe, Furtividade, Ladinagem): Esgueirar-se por trás das linhas inimigas para assassinar um comandante inimigo, roubar os planos inimigos, sabotar as máquinas de cerco inimigas.
  • Liderança (Blefe, Diplomacia, Intimidação): Reagrupar tropas dispersas, convencer um comandante inimigo a se tornar um traidor, manter mercenários e aliados descontentes na batalha, convencer um comandante hesitante a atacar.
  • Estratégia e Tática (Exploração, História, Natureza, Manha): Determinar os planos de ataque do inimigo, criar uma estratégia inteligente, determinar o melhor terreno para a luta, encobrir uma vantagem negligenciada ou uma fraqueza nas defesas;
  • Batalha Mágica (Arcanismo, Natureza, Religião): Conduzir rituais para obstruir o avanço e acossar os inimigos, quebrar o controle de seus inimigos sobre criaturas mágicas, conjurar anjos e outros aliados ou ainda espionar o movimento dos inimigos.
  • Trabalho de Sentinela (Intuição, Percepção): Descobrir um traidor no exército, observar por ataques surpresa dos inimigos, observar os movimentos do inimigo e antecipar os seus planos.
  • Combate (Atletismo, Vigor, Cura): Liderar um ataque contra as linhas inimigas, tomar e manter o controle sobre uma ponte estratégica, defender os muros contra ataques.

Crie missões que dêem aos personagens alguma coisa para fazer, sempre de olho em suas habilidades, características do personagem e anseios. O melhor de tudo é que você pode misturar encontros de combate com desafios de perícias. Para uma luta, simplesmente determine quantos personagens estarão envolvidos e crie um encontro baseado na quantidade de experiência para apenas um personagem. Adicione lacaios à batalha para representar os subalternos do personagem e as unidades de guerreiros inimigas.

Se dois ou mais personagens possuem as mesmas habilidades, você pode designá-los para a mesma missão e aumentar a sua complexidade em um, ou lhes conferir missões similares, mas separadas. O guerreiro pode liderar um ataque no portão oeste enquanto o paladino organiza os guerreiros incumbidos de enfraquecer o avanço de uma tribo de gigantes das colinas.

Quando construindo missões, use os conselhos dados previamente nesta coluna. Preste particular atenção quando mapear perícias para cada desafio para garantir que os personagens que sejam designados para as tarefas, tenham as habilidades necessárias para completá-las. No entanto, você é livre para aumentar as CD. Aumentar a CD aumenta a tensão sem transformar o desafio de perícias numa simples rolagem de dados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s